• Software de Educação - Sistema para Gestão Acadêmica e Pedagógica Escolar (Pode ser Utilizado em Escolas Publicas e Privadas) - Sistema de Educação
  • Software de Educação - Sistema para Gestão Acadêmica e Pedagógica Escolar (Pode ser Utilizado em Escolas Publicas e Privadas) - Sistema de Educação
  • Software de Educação - Sistema para Gestão Acadêmica e Pedagógica Escolar (Pode ser Utilizado em Escolas Publicas e Privadas) - Sistema de Educação
  • Software de Educação - Sistema para Gestão Acadêmica e Pedagógica Escolar (Pode ser Utilizado em Escolas Publicas e Privadas) - Sistema de Educação
  • Categoria

    Educação, escolas e faculdades à venda

  • Anúncio

    24156

  • Cidade

    Sorocaba - São Paulo

  • Tipo de negociação

    Venda Total

  • Motivo da Venda

    Produto desenvolvido não faz sentido em nosso portfólio de ofertas

Informações Estratégicas
  • Lucro Mensal R$ 60.000,00
  • Valor em Estoque R$ 2.160.000,00
  • Faturamento Mensal R$ 180.000,00
  • Capital de Giro R$ 200.000,00
  • Idade da Empresa 7 Anos, empresa ativa desde 2006-12-04
  • Quantidade de funcionários 6 a 10
Descrição
AMBIENTE TECNOLÓGICO

Tecnologia Servidora (Infra-Estrutura)
1. O software deve funcionar em Plataforma “Cloud Computing”, que recebe as informações e trata em tempo real, disponibilizando as informações na interface do cliente.
1.1 “Cloud Computing” (Computação em nuvem) possibilita interagir com diversos ambientes operacionais existentes, pois sistemas distribuídos na WEB possibilitam que sejam acessados com facilidade tecnológica por praticamente todos os usuários, independentemente de onde estejam geograficamente e que tipo de equipamento estejam utilizando, como celular, tablet ou notebook.
2. Atender o Serviço de Software as a service (SaaS) via web – sem necessidade de instalação de software local e com recurso aos principais browsers, o cliente utiliza o software via internet.
2.1 Software as a service (SaaS) O software não necessita de investimentos em plataforma computacional, sendo necessário apenas o acesso à internet.
3. Permitir o uso do protocolo de transferência de hipertexto seguro HTTPS (Hyper Text Transfer Protocol Secure).
3.1 \\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\"HTTPS\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\" Permite que os dados sejam transmitidos por meio de uma conexão criptografada e que se verifique a autenticidade do servidor e do cliente por meio de certificados digitais. A existência desse certificado demonstra a certificação de página segura (SSL) e o compromisso em oferecer uma plataforma segura para inserção de dados pessoais e transações.

Tecnologia Cliente ( Software )
1- O software deve dispor de interface totalmente 100% WEB (utilizado via browser) baseado em linguagem de desenvolvimento compatível com CSS 3.0 HTML 5.
2- Suportar no mínimo os Browsers: Microsoft Internet Explorer 10.0, Firefox 27, Google Chrome 32 e Apple Safari 5.1.7 (ou versões superiores).
3- O software deve utilizar apenas Standards de web internos aos Browsers, sem recursos a plug-ins externos como: flash, Java ou execução de programas de terceiros.
4- Ser compatível com maior parte dos celulares com telas coloridas e suporte para internet, tais como: Android, Apple IOS e Windows Phone.
5- Ser compatível com Tablets, suportando no mínimo o IPAD da Apple e Tablets com sistema operacional Android 4.0 (ou superior)
6- Validar os dados de entradas, com objetivo de inibir falha na digitação das informações, onde deve destacar, de forma interativa para o usuário, o campo indicado com erro, possibilitando a reentrada dos dados válidos.
7- Permitir acesso ilimitado de usuários.
8- Possuir recurso de aplicar e armazenar os filtros de pesquisa tornando estáticos na sessão do usuário, possibilitando o reaproveitamento dos filtros de pesquisa utilizados.
9- Possuir tecnologia que possibilite integrar os arquivos eletrônicos em formato XML, com estrutura estabelecida pelo AUDESP (Auditoria Eletrônica de Órgãos Públicos do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo), devendo obrigatoriamente recepcionar os seguintes arquivos: Balancete Isolado Conta Contábil, Balancete Isolado Conta Corrente. Cabe ressaltar, que todos os órgãos públicos municipais do Estado de São Paulo devem atender a INSTRUÇÕES Nº 02/2008 TC-A-40.728/026/07, que estabelecem que os dados e informações deverão ser prestadas de forma eletrônica em formato de arquivo XML. A partir da integração dos arquivos XML, o software deverá permitir gerar demonstrativos de análises para que o gestor público, avalie e faça os acompanhamentos necessários dos índices da área da educação do município com atendimento a metodologia do TCE de São Paulo.
10- O software deve possuir controle de auditoria das operações efetuadas, registrando arquivo de Log, como inclusões, atualizações e exclusões efetuadas pelos usuários autenticados no sistema, permitindo também a consulta desses registros.
11- Possuir módulo de painel de notificações. Isso permite que um usuário visualize todas as informações e navegue para notificação correspondente, proporcionado uma dinâmica para o usuário sobre suas tarefas diárias.
12- Possuir busca avançada nos formulários de cadastros como; alunos, professores, etc. Isso permite encontrar a informação solicitada mais rápida em qualquer parte da lista de cadastro.
13- Possuir regras de acesso para os usuários por perfil de acesso e funcionalidades.
14-Possuir recursos de assinatura digital. Esse tipo de assinatura utiliza, obrigatoriamente, um Certificado Digital ICP-Brasil que comprova a autoria da assinatura. O certificado digital funciona como uma identidade da pessoa física ou jurídica no meio digital. Por ter os seus dados validados presencialmente, ele confere autenticidade, integridade e não repúdio à assinatura digital.
No Brasil, é a Medida Provisória nº 2.200-2/2001 que garante proteção legal para essa forma de assinatura, equiparável, para todos os efeitos, a uma assinatura manual.
14.1 O aplicativo deve ser desenvolvido utilizando a linguagem para plataforma web, sendo o mesmo nativo da aplicação não tendo intervenção de softwares de terceiros.
14.2 Segurança: Possuir suporte para manipulação de chaves RSA 1024, 2048 e 4096 bits e ECDSA 256, 512 bits conforme DOC-ICP 01.01 da ICP Brasil. Possuir suporte para geração de resumos criptográficos utilizando os algoritmos de hash SHA1, SHA256 e SHA512 conforme DOC-ICP 01.01 da ICP Brasil.
14.3 Assinatura do documento somente através do PIN (Personal Identification Number) que permita o sistema invocar o Smartcard para a assinatura do documento.
14.4 Permitir até 20 assinaturas por documento
14.5 Permitir assinatura em lote

Requisitos Técnicos
1. Cadastro de Alunos
1.1. Dados Básicos
• O cadastro do aluno deverá ser centralizado num cadastro único de pessoas, garantindo a integridade e a não duplicidade de registros.
• O cadastro do aluno deverá contemplar todos os dados gerais, conforme o sistema SED e Educa censo.
1.2. Responsável:
• Permitir a inclusão de um ou mais responsáveis por aluno, armazenando ao menos: nome, endereço, contatos de e-mail, telefone fixo e celular, redes sociais, RG, CPF e tipo de parentesco com o aluno.
1.3. Lista de Pessoas Autorizadas a Retirar o Aluno da Escola:
• Permitir a inclusão de uma ou mais pessoais que poderão retirar o aluno da escola, armazenando ao menos: RG, nome e tipo de parentesco com o aluno.
1.4. Cadastro de Saúde do Aluno:
• Permitir a inclusão dos dados de saúde do aluno, contendo no mínimo: número do cartão SUS, informações do plano de saúde, se possuir, tipo sanguíneo, registro de necessidades especiais, informações sobre a gestação e parto, informações sobre o sono e alimentação do aluno.
• Permitir identificar as Necessidades Educacionais Especiais (NEE) e os tipos de auxílio que o aluno precisará, em decorrência da sua NEE.
1.5. Autorizações do aluno:
• Permitir o registro de autorizações para o aluno, contendo informações sobre permissões ou restrições para o aluno participar de viagens, visitas ou outros eventos realizados pela escola.
1.6. Questionário Socioeconômico:
• Permitir o registro dos dados socioeconômicos do aluno e sua família;
1.7. Histórico de Matrícula
• O sistema deverá permitir consulta ao histórico de matrícula do aluno.
• Deverão ser exibidos, ao menos: ano, escola, classe, número, data da matrícula, etc.
1.8. Listagem e busca de alunos
• O sistema deverá permitir a listagem de todos os alunos cadastrados no sistema, possibilitar a busca por nome do aluno, R.A. e data de nascimento, etc.
2. Cadastro de Funcionário
2.1. Dados Básicos
• O cadastro do funcionário deverá ser centralizado num cadastro único de pessoas, garantindo a integridade e a não duplicidade de registros.
• O cadastro do funcionário deverá permitir a inclusão ao menos do nome completo, endereço, data nascimento, sexo, cor/raça, estado civil, tipo sanguíneo, nacionalidade e naturalidade.
• O campo de endereço do funcionário deverá permitir o uso da geolocalização.
• O cadastro deverá permitir identificar se o funcionário é portador de necessidades especiais e, caso afirmativo, identificar qual é a necessidade, além das possíveis limitações existentes.
• Permitir a inclusão de um ou mais contatos, contendo no mínimo: tipo do contato, que pode ser telefone fixo, telefone celular, e-mail ou redes sociais.
2.2. Documentos
• O cadastro dos documentos deverá permitir o registro, pelo menos, do RG, CPF, PIS/PASEP, Carteira de Trabalho, Título de Eleitor, NIS, Certificado de Reservista, Registro em Órgão de Classe e Registro Docente, no caso do funcionário ser professor.
2.3. Contratos
• Permitir fazer o registro do funcionário em diversos regimes jurídicos, identificando-os através da classificação, tipo de cargo e cargo exercido.
• Caso o funcionário seja um docente, o sistema deverá permitir relacionar as jornadas de trabalho previamente cadastradas a um contrato. A jornada deverá especificar, além da carga horária total, as horas de trabalho coletivo, individual e livre.
• Caso o funcionário tenha um cargo administrativo, o sistema deverá permitir configurar o seu horário de trabalho de forma flexível, permitindo jornadas com vários intervalos e, inclusive, com horários de trabalhos diferentes ao longo dos dias da semana.
• Permitir o cadastramento da disciplina de contrato, no caso de professores.
• Permitir a inclusão de disciplinas para o docente habilitado.
• Permitir o cadastramento escola sede e outros locais de trabalho.
• Permitir efetuar o controle de afastamentos, readaptações e designações do funcionário através do contrato de trabalho. O lançamento poderá ser feito através de outra Interface, como a do Recursos Humanos, mas a informação ficará centralizada no contrato do funcionário.
2.4. Perfil de Acesso
• Permitir configurar um perfil de acesso para cada funcionário cadastrado. O perfil deverá contemplar as permissões e/ou restrições de cada usuário.
• Um usuário poderá ter um ou mais perfis de acesso no mesmo login.
3. Cadastro Cargo/Função
• O cadastro de cargo/função deverá possibilitar o registro de todos os possíveis tipos de cargos e funções que serão exercidos pelos funcionários.
• Deverá conter, no mínimo: descrição, categoria, identificação se o cargo é um cargo docente ou não, a classificação do cargo e o status de ativo ou inativo.
4. Cadastro de Jornadas de Trabalho
• Esse cadastro deverá conter todas as possíveis jornadas de trabalho e, no caso do trabalho docente, também armazenar a carga horária de trabalho coletivo, individual e livre.
4.1. Listagem e busca das jornadas de trabalho
• Permitir a exibição de uma listagem, em tela, de todos as jornadas de trabalho cadastradas no sistema, possibilitando a busca por: quantidade de horas e tipo.
5. Contratos de Trabalho
• Permitir centralizar, através do cadastro do funcionário, todos os contratos que ele venha a possuir.
• Um funcionário poderá exercer vários cargos e ou funções, no entanto, o cadastro do funcionário deverá ser único, sendo que os seus cargos ou funções serão diferenciados através de diversos contratos.
• Permitir a inclusão de um contrato, tanto de dentro do cadastro do funcionário, quanto de uma interface externa, possibilitando, no entanto, sempre a centralização dessas informações através do funcionário, independentemente de onde elas foram lançadas.
• A inclusão de um novo contrato deverá registrar, ao menos, os seguintes dados: classificação do cargo, tipo do cargo, cargo, data de admissão, disciplina, caso o cargo seja de professor, escola sede e contrato de trabalho.
5.1. Identificar Local de Trabalho
• Permitir no contrato de trabalho, adicionar quantos locais de trabalho forem necessários.
5.2. Registar Afastamento
• O sistema deverá permitir registrar afastamentos por contrato de trabalho.
• O lançamento desse afastamento poderá ser feito através do cadastro do funcionário ou através de uma interface externa.
• Durante o registro do afastamento, deverão ser informados no mínimo: tipo de afastamento, motivo de afastamento, início e término do afastamento.
5.3. Registrar Readaptação
• O sistema deverá permitir registrar a readaptação por contrato de trabalho.
• O lançamento dessa readaptação poderá ser feito através do cadastro do funcionário ou através de uma interface externa.
• Durante o registro da readaptação, deverão ser informados: tipo de readaptação, início e término.
5.4. Registrar Designação
• O sistema deverá permitir registrar a designação por contrato de trabalho, considerando que o funcionário poderá exercer cargos e funções distintos e ao mesmo tempo, respeitando-se as cargas horárias e legislações existentes.
• O lançamento dessa designação poderá ser feito através do cadastro do funcionário ou através de uma interface externa.
• No registro da designação, deverão ser informados no mínimo: tipo de função, função designada, início e término, portaria e data da publicação.
5.5. Listagem e busca por Contratos
• O sistema deverá fornecer a possibilidade de consultar todos os contratos de trabalho numa lista ordenada, sendo que o usuário poderá efetuar buscas por nome do funcionário, cargo, matrícula ou escola sede, etc.
6. Cadastrar Tipo de Cargo
• O sistema deverá permitir cadastrar o tipo de cargo. Esse cadastro deverá conter, no mínimo a descrição e a classificação do cargo.
7. Cadastro de Tipos de Afastamento
• O sistema deverá permitir o cadastro dos tipos e motivos dos afastamentos. Esse cadastro deverá conter, no mínimo a descrição, sigla e tipo.
8. Realizar Inscrição para Alteração da Jornadas de Trabalho
• O sistema deverá permitir que o funcionário, a seu critério, se inscreva para o processo de alteração da sua jornada de trabalho, seja para uma redução ou ampliação de carga horária.
• O município poderá parametrizar essa configuração, informando os períodos em que as inscrições podem ser feitas, assim como, informar se essa alteração deverá ser homologada.
8.1. Listagem e busca por inscrições para alteração de jornada
• O sistema deverá fornecer a possibilidade de consultar todas as inscrições para alterações de jornadas de trabalhos realizadas, sendo que o usuário poderá efetuar buscas por ano, escola, tipo de inscrição (alteração ou redução), etc.
9. Cadastrar Local de Trabalho
• O sistema deverá permitir, cadastrar todos os possíveis locais de trabalho.
10. Cadastrar Organograma
• O sistema deverá permitir o cadastro e montagem do organograma do município, que será utilizado para a organização da estrutura de trabalho.
• O organograma deverá trabalhar com os níveis organizacionais, que não devem possuir limites para níveis e subníveis para sua criação.
11. Cadastrar Perfil de Usuário
• O sistema deverá possuir um cadastro de perfil de usuário, configurável pelo próprio município e que, através dele, seja possível controlar o acesso a cada tela e funcionalidade do sistema.
• O cadastro de um usuário deverá, no mínimo, conter: nome do usuário, usuário ou login, senha, número do CPF e e-mail de contato.
• O sistema deverá permitir que um único usuário tenha um ou mais perfis de acesso, de acordo com as funções exercidas, sendo possível alternar entre esses perfis, sem a necessidade de fazer o procedimento de saída e entrada no sistema novamente.
12. Cadastrar Usuário
• O sistema deverá possuir um cadastro de usuários, com o controle dos níveis de acesso, segundo critérios definidos pelo Perfil do Usuário.
• Os dados mínimos necessários são: nome, usuário, senha, CPF, contatos de telefone e e-mail.
13. Cadastrar Classes
• O sistema deverá possuir cadastro de classes, que permita tanto a importação das classes já cadastradas no sistema SED, para o ano letivo corrente, quanto a inclusão manual de novas classes.
• A inclusão de uma nova classe deve conter, ao menos, as seguintes informações: ano letivo, escola, tipo de classe, código SED, curso, sala, turma, tipo de atendimento de turma, turno, duração, mediação didático-pedagógica e número de vagas, etc.
• Possuir Informações complementares na classe, como: matriz da classe/curso, calendário letivo, dias e horários de funcionamento da classe, além de data início e fim das aulas, etc.
• O sistema deverá permitir o cadastramento de classes do tipo multisseriada e possuir mecanismo para adicionar mais de uma série/ano na mesma classe.
• O sistema deverá permitir o cadastramento de classes do tipo multifuncional e possuir mecanismo para adicionar uma combinação de cursos na mesma classe.
• O sistema deverá permitir o cadastramento de classes do tipo recuperação paralela.
14. Cadastrar Grupos de Usuários
• O sistema deverá possibilitar o cadastramento de grupos de usuários, facilitando o gerenciamento dos usuários e possibilitando atribuir ou retirar acessos a um conjunto de tarefas previamente definidas.
15. Configurar Capacidade Física da Sala
• O sistema deverá prover a funcionalidade para configurar a capacidade física da sala de aula, de acordo com o curso selecionado.
• Os campos necessários são descrição e estimativa, em metros quadrados, do espaço físico que cada aluno ocupa dentro da sala de aula.
16. Atualizar informações da classe em lote
• Permitir a atualização, em lote, das informações das classes, não sendo necessário acessar classe por classe para editar o cadastro e promover as atualizações necessárias sejam por: matriz curricular, calendário e horário.
17. Cadastrar Área de Conhecimento
• O sistema deverá prover o cadastramento das áreas de conhecimento que serão necessárias tanto no cadastramento da matriz quanto do histórico escolar.
18. Cadastrar Disciplinas
• O sistema deverá permitir o cadastramento das disciplinas, por parte da Secretaria de Educação.
• Os dados mínimos para o cadastro da disciplina são: descrição, código MEC, área de conhecimento, tipo de disciplina, além de identificar se ela faz parte do currículo básico ou não e também permitir informar se é uma disciplina composta.
• Permitir o cadastramento de disciplinas compostas, ou seja, aquelas que englobam outras disciplinas, no caso dos professores polivalentes.
• As disciplinas ainda deverão ser identificadas por cores, facilitando a identificação visual, num quadro de horários, por exemplo.
• O sistema deverá permitir o cadastramento de disciplinas do tipo oficina e, nesse caso, ainda permitir configurar se haverá atribuição de nota ou não.
19. Cadastrar Conceitos e Notas
• O sistema deverá permitir o cadastramento dos conceitos e notas que, posteriormente, serão utilizados nas avaliações, nos conceitos atribuídos aos alunos em cada fase e no histórico escolar.
• O cadastro de conceito ou nota deverá conter, no mínimo: descrição e o tipo a que ele pertence, que pode ser conceitual ou numérico.
• Permitir configurar o tipo de avaliação “positiva” e/ou “negativa” para o valor do conceito e nota.
20. Cadastrar o Tipo de Ensino
• Permitir ao usuário cadastrar o tipo de ensino, como por exemplo; Ensino Médio, Ensino Fundamental, Educação Infantil, Educação de Jovens e Adultos, etc.
• Os dados mínimos necessários ao cadastro de tipo são: descrição, código SED, nível de ensino, modalidade de ensino, etapa de ensino.
21. Cadastro da Série/Ano
• O sistema deverá permitir o cadastramento de série/ano, podendo o usuário importar esses dados do SED ou informar manualmente.
• Os dados mínimos necessários a esse cadastro são: descrição, código SED, tipo, curso ou ciclo e sistema de notas que será utilizado.
• O sistema deve permitir matricula simultânea, ou seja, o aluno está matriculado nessa série e em outra ao mesmo tempo, ou então, se permite matricula na mesma série, mas em turnos diferentes.
22. Cadastrar Curso
• O sistema deverá prover o cadastramento dos cursos, que deverá ser feito pela Secretaria Municipal de Educação.
• Os dados mínimos necessários para o cadastro do curso são: descrição, sigla, código SED, tipo de ensino e etapa de curso.
23. Cadastrar Regiões
• O sistema deverá permitir o cadastramento de regiões.
• Uma região deverá ser entendida como um conjunto de bairros, portanto, o sistema deverá permitir a digitação de um nome identificador e, após, que o usuário escolha quais bairros fazem parte daquela região.
24. Cadastrar Profissões
• O sistema deverá permitir o cadastro de profissões, que deverá conter apenas um campo para descrição.
• O sistema já deverá conter uma lista padrão com as profissões utilizadas pelo Catálogo Brasileiro de Ocupações (CBO), mas ainda assim, permitir a inclusão, se necessário.
25. Cadastrar Escolas
• O sistema deverá possibilitar o cadastro das escolas, já contemplando no seu cadastro todas as informações necessárias para o censo escolar.
• O cadastro da escola deverá conter, no mínimo: razão social e nome fantasia, código INEP, código CIE, status, dependência administrativa, autorização de funcionamento, vínculo com a educação básica, localização e região que está localizada e região de atendimento.
• O cadastro também deverá conter o endereço, permitindo a utilização da geolocalização.
• O cadastro deverá permitir a inserção dos contatos da escola, permitindo adicionar quantos forem necessários.
• O cadastro também deve possibilitar a identificação dos cursos que estão vinculados à escola.
• O cadastro da escola deve possibilitar a identificação da região que é atendida pela unidade.
25.1. Dados da Gestão Escolar
• Dentro do cadastro da escola, também deverão ser armazenados os dados da gestão escolar, contendo nome dos seus responsáveis legais.
• Armazenar os dados do(a) diretor(a) da escola, contendo, no mínimo: nome completo, CPF, RG, e e-mail.
• Armazenar os dados do(a) secretário(a) da escola, contendo, no mínimo: nome completo, CPF, RG, e cargo ocupado
25.2. Dados da Infraestrutura da Escola
• Prover o armazenamento das informações da infraestrutura da escola, com possibilidade de atualização rápida, por parte da própria escola, quando houver mudanças.
• As informações sobre a infraestrutura contemplam: local de funcionamento da escola, forma de ocupação do prédio, informações sobre compartilhamento do prédio com outras escolas, dados sobre o abastecimento de água, abastecimento de energia elétrica, esgoto sanitário e destinação do lixo, etc.
• Prover o levantamento sobre a existência de todas as dependências escolares desejáveis, tais como: sala de diretoria, secretaria, sala dos professores, laboratório de informática, laboratório de ciências, quadra, cozinha, biblioteca, sala de leitura, parque infantil, berçário, banheiros, entre outros itens que fazem parte do censo escolar.
• Prover o levantamento sobre a existência de equipamentos eletrônicos, tais como: televisores, DVD, vídeo cassete, antenas, copiadoras, projetores, impressoras, equipamentos multimídia, entre outros.
• Prover o apontamento de computadores para acesso aos alunos, além da disponibilidade do acesso à Internet.
25.3. Caracterização da Escola
• Possibilitar a caracterização da organização escolar e estrutura do funcionamento.
• As informações mínimas a serem registradas nesse quesito são: número de funcionários, organização por ciclos, se a escola fornece alimentação para os alunos, se possui atendimento educacional especializado, se possui atividades complementares, se o ensino fundamental é organizado por ciclos, modalidade de ensino que a escola oferta e localização diferenciada, como por exemplo, em áreas de assentamento, quilombos, terras indígenas, etc.
25.4. Registro de Materiais Didáticos
• Possibilitar o registro dos materiais didáticos que a escola utilize, como por exemplo: materiais didáticos voltados para a diversidade sociocultural, diversidade quilombola e indígena, entre outros itens necessários ao Censo Escolar.
26. Cadastrar Sala de Aula
• Permitir que a escola faça o cadastro das suas salas de aula. Esse cadastro poderá ser importado do sistema SED, assim como, também ser inserido ou alterado pela própria escola.
• Os dados mínimos necessários a esse cadastro são: escola, descrição e código SED
• Permitir configurar o tamanho da sala e, com base no espaço ocupado por aluno, já calculado, estimar quantos alunos podem ser alocados na sala.
27. Cadastrar Matriz Curricular
• A matriz curricular deverá ser a origem de diversos outros processos, como por exemplo, a atribuição de aulas, pois uma aula somente poderá ser atribuída se estiver presente numa matriz, com um curso, série/ano e classe definidos.
• O sistema deverá permitir a rotina de cadastramento, exportação, importação e homologação da matriz curricular.
• A matriz curricular será obrigatória para todas as escolas, será elaborada pela Secretaria de Educação, que fará a definição de todas as disciplinas, por série, que cada escola deverá ministrar.
• A matriz deverá permitir a configuração da carga horária por semana e do número de professores necessários para cada uma das disciplinas.
• Os dados mínimos para a definição de uma matriz são: ano letivo, descrição, lei que regulamenta a matriz, total de semanas, cursos que devem fazer parte da matriz.
• Após a definição inicial o cadastro da matriz deverá permitir a inserção, por série, do tipo da disciplina, da área de conhecimento, da disciplina em si e quantidade aulas semanais.
27.1. Importar Matriz Curricular
• Permitir que cada escola possa importar uma matriz já definida pela Secretaria da Educação, procedimento que padroniza a utilização, por todas as escolas, de uma mesma matriz e diminui erros na digitação.
• A matriz poderá conter disciplinas que tenham área do conhecimento a ser definida na escola, como oficinas, por exemplo. Nesse caso, a escola terá autonomia para inserir as disciplinas e, posteriormente, enviar a matriz para homologação.
• Permitir a importação automática de uma matriz, evitando passos desnecessários e diminuindo o tempo de execução do processo.
27.2. Homologar Matriz Curricular
• O sistema deverá prever a opção de homologar uma matriz curricular, antes dela ser utilizada para a atribuição de aulas.
27.3. Copiar Matriz Curricular
• O sistema deverá prover a funcionalidade de copiar uma matriz curricular de um ano para outro, no entanto, mesmo se copiada, o usuário ainda poderá proceder alterações e ajustes na matriz.
27.4. Permitir Estorno de uma Matriz
• O sistema deverá permitir o estorno de uma matriz, caso algum erro tenha sido detectado após o envio ou cópia dela, por parte das escolas.
• Quando um estorno for solicitado, este pedido deverá ser enviado para o profissional responsável da Secretaria de Educação que irá aprovar ou não o estorno.
28. Cadastrar Calendário Letivo
• O cadastro do calendário letivo também deverá ser previsto pelo sistema, pois será através dele que serão definidas todas as datas do ano letivo, como por exemplo, definições de eventos, dias de aula, datas de reuniões, etc.
• O calendário letivo poderá ser elaborado por curso, no entanto, um calendário poderá conter vários cursos.
• Um calendário poderá ser configurado de acordo com as fases que a rede municipal decidir trabalhar, como por exemplo, bimestre, trimestre, semestre, etc.
• O calendário deverá ser válido para toda a rede, no entanto, cada escola poderá ajustar os dias de reuniões e eventos, mas mantendo os dias letivos e as fases definidas.
• O calendário deverá ser configurável nas séries e anos, pois será com base no calendário que os quadros de horários e diários serão elaborados.
28.1. Cadastrar Tipos de Eventos
• O sistema deverá permitir a própria escola ou Secretaria de Educação efetuar o cadastro dos seus eventos, tendo autonomia para criar e configurar o calendário de acordo com as suas necessidades.
• Deverá ser considerado como evento, toda atividade a ser desenvolvida pela escola, seja um dia letivo ou não, como uma aula, uma reunião, uma atividade desenvolvida em finais de semana, etc.
28.2. Importar Calendário pelas Escolas
• Após a Secretaria de Educação definir um calendário, estes poderão ser importados pelas Escolas.
• As escolas não deverão ter autonomia para alterar as datas de início e fim das aulas, assim como, alterar as datas definidas para as fases ou etapas definidas para o período letivo.
• As escolas poderão adicionar atividades letivas, em dias disponíveis no calendário acadêmico, ajustando, por exemplo, as atividades letivas que ocorrem aos finais de semana, além de eventos específicos de cada escola.
• O sistema deverá permitir que cada escola, após fazer os ajustes no calendário, possa reenviar, através do próprio sistema, para a Secretaria de Educação, para que ele possa ser homologado.
28.3. Homologar e Estornar Calendários
• Após a escola fazer os ajustes no calendário, ela deverá enviar o calendário para a homologação da Secretaria de Educação, que deverá conferir para garantir o número mínimo de dias letivos.
• Após a homologação a escola poderá usar o calendário e configurá-lo nos cursos e séries que irão utilizá-lo.
29. Configurar Horário das Aulas e Cursos
29.1. Cadastrar os parâmetros dos horários das aulas e cursos
• Os cursos podem ter tempos diferentes de aulas, portanto, será necessário que o sistema forneça meios para que o tempo de duração das aulas sejam parametrizados por escola, curso e turnos de aula.
29.2. Cadastrar os parâmetros dos horários dos docentes
• O sistema deverá prover meios de cadastro de tempos de aulas e atividades dos docentes, diferentes, de acordo com o curso em que lecionam.
• O sistema deverá permitir à Secretaria de Educação configurar o tempo de duração da aula para cada curso, além dos cargos docentes que farão parte de cada horário cadastrado.
• O sistema deverá permitir configurar os tipos de horários que o docente poderá fazer, como por exemplo: coletivo, individual e livre, pois cada um desses horários pode ter uma carga horária diferente.
29.3. Configurar Horário de Aula dos Cursos e Escola
• A escola poderá definir, a seu critério, os horários das aulas, respeitando o tempo de cada aula.
• Cada curso e série poderá ter um horário diferente, segundo os critérios de organização da escola.
29.4. Configurar Horário Individual e Coletivo
• Permitir configurar dias e horários, das atividades individual e coletiva.
30. Configurar Quadro de Horário das Aulas
• Cada escola poderá ter a liberdade de configurar seu quadro de horário de aulas, que será a maneira de organizar qual disciplina estará sendo lecionada em qual dia e horário.
• A montagem do quadro de horários deverá ser um processo dinâmico e que aceite modificações a qualquer momento, no entanto, a cada modificação, deverá a escola informar a partir de quando essa modificação será válida. O sistema não deverá permitir alteração caso haja registros de presença e conteúdos na data informada.
31. Controlar Rotinas Pedagógicas
Registrar Diário Eletrônico de Frequência
• O sistema deverá controlar, através do registro do diário eletrônico de frequência, todas as rotinas de controle de presença e atividades do dia-a-dia em sala de aula.
• O diário de frequência deverá fazer o controle diário do registro das faltas, realizados aula por aula, possibilitando ao professor registrar se o aluno chega atrasado ou sai antes do horário, sem contabilizar com isso, falta no dia todo.
• O diário de frequência deverá permitir o controle através de lançamentos mensais, efetuando o lançamento apenas do total de faltas, que podem ser feitas de uma única vez.
• Permitir parâmetro de forma do controle do lançamento (diário ou mensal), deverá ser indicada no início de cada ano letivo.
• Através do diário eletrônico o docente também poderá executar rotinas como registrar encaminhamentos para um aluno, como por exemplo, pedagógico, psicológico, etc.
• Permitir consultar encaminhamentos já realizados.
• Permitir registrar ocorrências envolvendo o aluno.
• Permitir consultar todas as ocorrências já registradas para o aluno.
• O diário eletrônico deverá permitir o registro prévio do conteúdo pedagógico que será ministrado – plano de aula, ou do conteúdo já trabalhado, sendo esse controle feito por dia letivo.
• O diário de frequência deve prever meios para que o professor faça o fechamento de uma fase ou período letivo.
• O professor deverá conseguir apontar, do total de aulas previstas para o dia, quantas aulas foram efetivamente ministradas.
• O lançamento da frequência do aluno deverá ser feito somente sobre as aulas efetivamente ministradas.
• Através do diário eletrônico o docente deverá ter acesso somente aos dias de aulas que lhe tenham sido atribuídas, que estejam de acordo com o calendário letivo e o quadro de horário de cada classe, não possibilitando o lançamento de conteúdo ou frequências em dias que o professor não tenha aula.
• O sistema deverá permitir o registro das justificativas de ausência, permitindo a sua categorização por tipos, que também deverão ser criados pela escola.
• O sistema deverá permitir compensações de ausência que poderão ser feitas a qualquer momento, ficando a critério do docente e coordenação pedagógica a aplicação das atividades.
• O diário eletrônico deverá permitir o registro de compensações de ausências para os alunos, provendo registro das atividades desenvolvidas para esse fim.
• No diário, deverá o docente registrar o aluno, data da compensação e o total de aulas compensadas.
31.1. Registrar Diário Eletrônico de Avaliações
• O sistema deverá controlar, através do registro do diário eletrônico de avaliações, todas as avaliações ou atividades avaliativas aplicadas para os alunos.
• O professor deverá ter a possibilidade de cadastrar quantas atividades avaliativas desejar.
• A inserção das notas será feita de forma manual pelo docente, através da digitação do conceito ou nota no campo destinado a esse fim.
• Permitir registrar as competências e habilidades desenvolvidas pelo aluno, além das atitudes do aluno e orientações aos alunos e pais.
• O diário de avaliações deverá prover funcionalidade para que o professor faça o fechamento da fase ou período letivo.
• Permitir no registro da última fase do ano letivo o docente deverá efetuar o lançamento conceito final ou quinto conceito, que será a nota que será transportada para o histórico escolar do aluno.
32. Cadastrar Habilidades e Competências
• As habilidades e competências deverão fazer parte do processo avaliativo do aluno, portanto, o seu cadastramento deverá considerar o curso, série e ano, considerando que os alunos têm diferentes estágios de aprendizagem.
• Para realizar o cadastramento de uma habilidade ou competência, deverão ser informados: o curso, a série/ano e a disciplina, além da descrição, em campo de livre digitação, da competência ou habilidade que se queira cadastrar.
• Poderão ser inseridas quantas habilidades ou competências a secretaria de educação ou escola queiram trabalhar, sem qualquer tipo de limitação.
33. Cadastrar Tipo de Ocorrências
• As ocorrências que poderão ser registradas, por aluno, deverão ter a possibilidade de classificações e registros por seu tipo, facilitando o controle dos registros e a elaboração de atitudes corretivas ou preventivas.
34. Registrar Ocorrências
• Deverá ser considerada uma ocorrência, todo e qualquer evento que não se enquadre na rotina, envolvendo os alunos e suas relações com outros alunos, professores ou escola.
• O registro de uma ocorrência poderá ser feito pelo próprio docente, no diário eletrônico de frequência, através de opção específica a esse fim.
• Uma ocorrência pode ser registrada por interface externa ao diário de frequência, permitindo que seja feita pela secretaria escolar, direção ou coordenação pedagógica.
35. Cadastrar Atitudes do Aluno
• O cadastro de atitudes do aluno deverá permitir a inserção dos comportamentos gerais referentes a todos os alunos e que devam ser avaliados pelo professor, através do diário de classe.
• Para cadastrar uma atitude será necessário informar uma apenas uma descrição de texto simples.
36. Cadastrar Orientações
• O cadastro das orientações deverá permitir a inserção de orientações gerais aos pais e alunos, que deverão ser registradas através do diário de avaliações, pelo professor
• Para cadastrar uma orientação será necessário informar apenas uma descrição de texto simples.
37. Cadastrar Mapa de Processo de Aprendizagem
• O sistema deverá permitir, tanto para a Secretaria de Educação, quanto para as escolas, trabalhar com mapas de processos de aprendizagem.
• A escola ou secretaria poderá cadastrar quantos mapas forem necessários.
• O mapa deverá trabalhar com os conceitos de grupos e níveis, sendo que os grupos são uma identificação abrangente do que se pretende avaliar e os níveis, um conjunto de perguntas com as possíveis fases em os alunos irão se enquadrar.
• O mapa poderá ter quantos grupos e níveis a secretaria ou escola desejar.
38. Preenchimento do Mapa de Processo de Aprendizagem
• O sistema deverá possibilitar o preenchimento de um mesmo mapa uma ou mais vezes, de acordo com a estratégia a ser adotada, sendo possível aferir a evolução do aluno, no quesito avaliado pelo mapa, em diversos momentos do período letivo, podendo efetivamente traçar uma linha de aprendizado real.
39. Realizar Conselho de Classe
• O sistema deverá permitir a realização do conselho de classe, de forma integrada e online, gerando pelo próprio sistema os documentos resultantes do conselho.
• Deverão ser listados todos os alunos da classe selecionada, possibilitando a fácil navegação entre eles.
• A interface inicial deverá concentrar todas as informações necessárias ao aluno, como as notas da fase atual e anteriores, se for o caso.
• A interface deverá permitir uma navegação simples, entre as notas, as atitudes e orientações, os encaminhamentos e atendimentos, as ocorrências, observações e habilidades e competências, sendo que todos esses critérios foram apontados através do diário de classe, secretaria ou direção da escola.
• Ao final da análise de cada aluno, no conselho final, haverá a necessidade de informar o conceito final e a situação final do aluno, que será APROVADO ou REPROVADO.
• Permitir o recurso de assinatura digital, para atestar a autenticidade do documento na expedição pelos responsáveis.
40. Gerar Histórico Escolar
• O sistema deverá permitir a geração e impressão do histórico escolar do aluno, sendo que cada curso poderá ter uma configuração e modelo diferente.
• O sistema deverá permitir configurar o histórico por curso, sendo que essas configurações podem ser válidas para um ou vários cursos.
• O histórico também deve parametrizar se cada escola poderá ou não adicionar novas disciplinas, no momento de fazer o lançamento ou ajuste do histórico, permitindo a secretaria da escola lançar disciplinas que não tenham sido configuradas para aquele histórico.
• O sistema deverá permitir informar a carga horária total de cada série e ano, distinguindo entre a carga horária do currículo básico e da parte diversificada.
• O processo de alimentação do histórico do aluno poderá ser manual ou automático. Ele deverá ser manual para séries/anos que o aluno já tenha cursado em períodos anteriores ao sistema e em escolas de outras redes de ensino ou de outros municípios. Nesse caso, o aluno terá o histórico impresso, que deverá ser digitado no sistema, com informações sobre as disciplinas cursadas, notas finais, escolas onde o aluno estudou e ano em que cursou.
• A alimentação do histórico deverá ser automática quando o aluno estiver regularmente matriculado e todo o processo de avaliações e conselhos tiverem sido seguidos. Nesse caso, após a realização do conselho final, o sistema deverá alimentar as informações no histórico do aluno de forma automática, não sendo necessário fazer qualquer inserção manual.
• Permitir o recurso de assinatura digital, para atestar a autenticidade do documento na expedição pelos responsáveis.
41. Atribuir Aulas
• A atribuição de aulas deverá ser um processo que se inicia com um novo ciclo letivo e que persiste ao longo de todo o ano, portanto, a qualquer momento novas atribuições poderão ser realizadas.
• A atribuição de aulas no início do ciclo letivo deverá contemplar todas as escolas e disciplinas, garantindo que todas as turmas tenham um docente atribuído, assim como, que todo docente tenha sua carga de trabalho preenchida corretamente.
• A atribuição de aulas deverá prever a existência de uma tabela de horas de jornadas de trabalhado, que será a base para a configuração dos horários coletivos, individuais e livres.
• O sistema deverá fornecer recursos para que a Secretaria de Educação autorizar a abertura do processo de atribuição, somente sendo possível consultar as aulas disponíveis após essa abertura, que dependerá da correta configuração, por parte das escolas, da matriz curricular, informando em cada série/ano ofertados, as disciplinas e a quantidade de aulas de cada uma delas.
• O sistema deverá proporcionar a fácil visualização do total de aulas a ser atribuído ao docente, as aulas já atribuídas, as aulas restantes e a distribuição da carga horária coletiva, individual e livre.
• O sistema deverá prever e tratar os tipos de atribuição, como por exemplo, atribuição ao titular, atribuição em substituição.
• O sistema deverá permitir a atribuição de uma ou mais classes ao mesmo professor.
41.1. Permitir cessar uma atribuição
• O sistema deverá fornecer meios para que uma aula, mesmo após atribuída, possa ser cessada. Esse procedimento poderá ser tomado, por exemplo, quando uma classe for fechada ou quando o professor desistir das aulas.
41.2. Permitir cancelar uma atribuição
• O sistema deverá fornecer meios para que uma aula, mesmo após atribuída, possa ser cancelada.
42. Homologar Ampliação ou Redução de Carga Horária
• O sistema deverá permitir a homologação da ampliação ou redução da carga horária do docente.
• A ampliação ou redução de carga horária tendo sido aprovada, automaticamente deverá alterar os registros da composição da jornada de trabalho docente, a quantidade de aulas e carga horária de trabalho coletivo, individual e livre.
43. Matricular Alunos
• O sistema deverá permitir realizar a matrícula dos alunos, dentro de uma classe já previamente cadastrada e configurada.
• O sistema deverá garantir, no momento da matrícula, que esse aluno tenha uma pré-matrícula aprovada para a escola, procedimento feito através do estudo e aprovação da rematrícula ou pré-matrícula.
• O sistema deverá permitir o cadastramento de classes por ano letivo.
• O sistema deverá permitir incluir os alunos individualmente numa classe.
• O sistema deverá permitir o remanejamento de alunos dentro da mesma escola, alocando-os em classes diferentes, por exemplo.
• O sistema deverá permitir a transferência de alunos entre escolas.
• O sistema deverá registrar a evasão ou abandono escolar.
• O sistema deverá permitir cancelar uma matrícula, mantendo os dados do aluno no sistema, somente inativando a matrícula.
• O sistema deverá garantir que alunos matriculados em classes regulares, não poderão ter matrícula ativa em mais de uma classe e ao mesmo tempo.
• O sistema deverá apresentar listagem de alunos matriculados por classe.
• O sistema deverá permitir a reordenação manual dos alunos matriculados numa classe, alterando o número da lista de chamada.
• O sistema deverá manter histórico de todos os procedimentos realizados na matrícula do aluno, como transferências, remanejamentos ou qualquer outra alteração feita durante o fluxo do processo de matrícula.
• O sistema deverá permitir a matrícula retroativa de alunos.
• O sistema deverá permitir realizar a reclassificação de alunos, permitindo que o aluno seja matriculado numa série acima ou abaixo da sua atual situação de matrícula.
• O sistema deverá possuir parâmetros para configuração das datas de corte, tanto para as matrículas quanto para as inscrições para lista de espera. Essas datas deverão ser estabelecidas a critério do município, portanto, poderão ser digitadas e alteradas pela própria secretaria da educação.
44. Educação de Jovens e Adultos (EJA)
• O sistema deverá permitir o tratamento de cursos e turmas EJA, possibilitando os mesmos controles de matrícula e demanda.
• O sistema deverá permitir a criação de calendário e matriz direcionados somente a essa modalidade (EJA)
45. Demanda
45.1. Dados básicos:
• O cadastro dos candidatos a vagas na rede municipal deverá ser centralizado num cadastro único de pessoas, garantindo a integridade e a não duplicidade de registros.
• As demandas do município deverão estar interligadas com as pré-matrículas, de forma que uma demanda só possa ser atendida assim que todos os alunos da rede municipal já tenham sido atendidos, excetos os casos de força maior e/ou natureza de imposição jurídica.
• O sistema deverá possuir parâmetros para configuração das datas de corte para as demandas, que deverão ser estabelecidas a critério do município, portanto, poderão ser digitadas e alteradas pela própria secretaria da educação.
• O sistema deverá permitir cadastro configurável das inscrições, contendo, no mínimo, os campos: ano letivo atual, cadastro de cursos e séries/anos de atendimento da rede, intervalo de datas para atendimento em cada série/ano, ano letivo para matrícula.
• Cadastro do número de opções de escolas e turnos permitidas no ano letivo;
• Permitir o cadastro configurável de questionário para classificação dos inscritos e emitir lista de classificação dos inscritos, de acordo com os critérios estabelecidos.
• Permitir tratamento automático pelo sistema das inscrições não atendidas, se elas continuarão ativas, ou não, para o próximo ano letivo.
• O cadastro do candidato à demanda deverá conter no mínimo: data e hora da inscrição, nome, data de nascimento, sexo, raça/cor, filiação, nacionalidade, naturalidade, dados da certidão de nascimento, cadastro de endereço contendo código de endereçamento postal, cidade da residência, unidade federativa da residência, logradouro da residência, número da residência, complemento da residência, bairro da residência, etc.
• Cadastro da pessoa que realizou a inscrição contendo, no mínimo: nome, número do CPF e campo para registro de observações.
• Permitir o registro de necessidade educacional especial, caso o candidato seja portador, assim como, das limitações que possa ter.
• Permitir a inclusão de vários contatos para cada inscrição, armazenando ao menos: nome, e-mail, telefone fixo e celular e endereços de redes sociais.
• Permitir o uso da geolocalização no registro da matrícula, possibilitando visualizar, graficamente, a localização do candidato.
45.2. Registro dos atendimentos
• Permitir o armazenamento dos atendimentos feitos para a demanda com a inclusão de dados dos contatos entre a contratante e o responsável pela inscrição ou responsável pelo candidato à demanda, contendo no mínimo: data de registro, nome da pessoa contatada, informação se foi oferecida vaga ou não, e campo para descrição do atendimento.
45.3. Histórico:
• O sistema deverá armazenar um histórico de todas as inscrições criadas para cada candidato, contendo, no mínimo:
• código da inscrição (gerado automaticamente pelo sistema)
• situação da inscrição na demanda
• data e hora em foi registrada a inscrição, ou o seu cancelamento
• nome do usuário que realizou a inscrição ou cancelamento.
45.4. Registro de prioridade de atendimento
• O sistema deverá permitir o registro de inscrições que deverão ser atendidas prioritariamente.
• O registro de atendimento prioritário deverá conter, no mínimo as seguintes informações:
• Cadastro das situações em que será autorizada a prioridade de atendimento.
• Cadastro de perfis de solicitante de atendimento prioritário.
• Cadastro de motivo da solicitação.
• Registro da data, horário e usuário que realizou a inclusão da informação no sistema.
• O sistema deverá emitir, automaticamente, alertas na tela do sistema para os casos de atendimento prioritário cadastrados que ainda não tiverem sido matriculados.
46. Cadastro e configuração de declarações
• O sistema deverá prover meios para que a própria escola possa cadastrar modelos de declarações no sistema.
• As declarações emitidas para alunos poderão ser emitidas individualmente ou para toda uma classe, segundo os filtros que poderão ser selecionados, sendo no mínimo: modelo da declaração, ano letivo, escola, curso, série/ano e classe.
• As declarações para não alunos deverão conter campos de livre digitação, necessários no momento da impressão, pois os dados não estarão armazenados no sistema.
47. Efetuar pré-matrícula de alunos
• O sistema deverá permitir ao município trabalhar com a pré-matrícula dos alunos da rede municipal, contemplando as etapas e processos principais, como por exemplo: estudo da demanda, que deverá permitir fazer um mapeamento de todos os alunos, professores, vagas abertas e necessidades do Município, possibilitando traçar o perfil da rede, identificando necessidades e permitindo uma visão gerencial para realizar ajustes e adaptações necessárias.
• O sistema deverá permitir a rematrícula automática, que será a geração da pré-matrícula e aprovação da matrícula, dos alunos que já são da rede municipal, tornando o processo mais ágil.
• O sistema deverá possibilitar um controle transparente para as escolas e alunos, possibilitando consultas dos envios dos alunos para aprovação da pré-matrícula, assim como, das análises e retornos.
• O sistema deverá controlar os pedidos de transferência (alunos que estão mudando de escola), possibilitando a aprovação ou não desse pedido, mediante os critérios da Secretaria de Ensino.
• O sistema deverá integrar o controle da pré-matrícula com o controle da lista de espera, de forma que as demandas somente possam ser atendidas após as pré-matrículas, evitando, com isso, erros em listas de espera e garantindo que todos os já alunos da rede sejam atendidos prioritariamente.
48. Controlar auxiliares
• O sistema deverá permitir o controle e identificação dos auxiliares necessários, que podem ser tanto pedagógicos quanto de outras áreas, como profissionais de enfermagem ou qualquer outro, para atender alunos que declarem possuir algum tipo de Necessidade Educacional Especial (NEE).
• Após a escola fazer os pedidos, o sistema deverá permitir a secretaria da educação fazer as análises e aprovações, podendo aprovar o auxiliar solicitado, ou ainda, fazendo a troca por outros que julgue atender melhor a situação, mediante o quadro de funcionários disponível.
49. Registrar Faltas dos Docentes
• O sistema deverá permitir o controle das faltas dos docentes, com controle não somente das faltas, mas também permitir ao docente e coordenação fazer um planejamento das faltas, podendo deixar antecipadamente registrado uma falta num dia futuro, possibilitando a organização do substituto para o dia.
• O sistema deverá permitir o controle não somente das aulas, mas também dos horários livres, individuais e coletivos, sendo que os horários livres dependem do município querer ou não controlar, mas de qualquer forma, o sistema deverá exibir essas cargas horárias e permitir o controle da carga horária total do docente.
50. Registrar Substituições
• O sistema deverá permitir registrar a falta do professor titular e garantir ao docente substituto fazer o uso e lançamento no diário de classe.
51. Relatórios
O sistema contem os seguintes relatórios:
• Lista Piloto de alunos: O relatório de Lista Piloto é a listagem de todos os alunos matriculados num determinado curso/classe.
• Alunos matriculados por série: lista os alunos matriculados numa escola, de acordo com a série/ano de matrícula
• Alunos matriculados por ciclo: lista os alunos matriculados numa escola, de acordo com o ciclo de ensino que eles estão matriculados.
• Alunos matriculados por turno: lista os alunos matriculados numa escola, ou na rede de ensino, de acordo com o turno em que estão matriculados. Esse relatório deverá conter, no mínimo, os filtros: ano letivo, etapa de ensino e escola.
• Quantidade de vagas por classe: totaliza a quantidade de vagas por classe, mostrando a capacidade física, que é calculada em relação ao tipo de curso e metragem da sala, o total de vagas ofertadas, os alunos matriculados e as vagas livres.
• Número de inscritos na demanda: relatório que permitirá verificar a quantidade de alunos inscritos na demanda, separando-os por status da demanda.
• Lista de demanda: relatório que permitirá verificar a listagem de alunos inscritos na demanda, separando-os por status da demanda, que será o relatório oficial para a chamada dos candidatos para a realização das matrículas.
• Gráficos da demanda: deverá exibir um conjunto de gráficos da demanda, podendo ter como critérios todas as opções da demanda, somente para a primeira opção da demanda e somente para a segunda opção da demanda.
• Comprovante de inscrição na demanda: o sistema deverá permitir a impressão do comprovante da inscrição da demanda, exibindo ao menos os dados básicos do aluno, como: nome, data de nascimento, dados da certidão de nascimento, filiação, endereço, contatos e as opções feitas pelos responsáveis.
• Impressão calendário escolar: permitir a impressão do calendário escolar, de forma que este possa ser entregue aos professores, pais e alunos, se necessário.
• Relatório do quadro de aprovação e retenção de alunos: Relatório que deverá traçar o panorama dos alunos aprovados ou reprovados numa determinada classe.
• Relatório socioeconômico de alunos que possuem internet em casa: Relatório de número de alunos que possuem acesso à Internet na residência. Também deverá gerar representação gráfica.
• Relatório socioeconômico do número de cômodos por residência: Relatório que deverá mostrar qual é o número de cômodos que cada residência dos alunos de uma escola possui.
• Relatório socioeconômico de alunos que residem com qual responsável: Relatório que deverá mostrar com quais sãos os tipos de responsáveis com quais os alunos vivem.
• Relatório socioeconômico de pessoas que residem na casa com o aluno: Relatório de número de pessoas que residem com o aluno. Esse relatório está relacionado com o questionário socioeconômico do aluno, especificamente com a questão: “Quantas pessoas residem atualmente na casa:”.
• Relatório socioeconômico de renda familiar: Relatório de renda familiar. Deverá ser gerado para uma ou mais escolas selecionadas, ou então, para toda a rede.
• Relatório socioeconômico do bolsa família: Relatório do programa Bolsa Família. O objetivo desse relatório será verificar a quantidade de alunos que são beneficiários de programa.
• Relatório de frequência do bolsa família: O objetivo desse relatório será verificar a frequência dos alunos, cujas famílias recebem o auxílio do bolsa família.
• Listagem alunos para preenchimento e chamada manual: Relatório de listagem para registro de frequência manual. Esse relatório consistirá na listagem de todos os alunos de uma classe, com espaços reservados (colunas) para que o professor possa fazer o registro manual das frequências.
• Relatório do Percentual de Frequência: Relatório que deverá ser utilizado para fins gerenciais em relação a frequência dos alunos.
• Impressão boletim escolar: Esse relatório será usado para fazer a impressão do boletim escolar do aluno.
• Relação de alunos matriculados na classe com foto: Será utilizado para facilitar a identificação de um aluno pelo professor.
• Relatório de notas e frequência: Esse relatório utilizará as informações do conselho de classe, especificamente em relação ao conselho da última fase de cada ciclo letivo, onde deverá ser registrado o conceito final, ou 5º conceito, que é a nota que irá compor o histórico do aluno.
• Relatório do diário de classe: Relatório utilizado para que o professor possa conferir e verificar os registros de lançamento de frequência, conteúdo programático e avaliações.
• Relatório de classes por escola: Listagem de todas as classes que pertencem a uma escola.
• Impressão da matriz curricular: Esse relatório será a impressão completa de uma matriz curricular homologada.
• Relatório de médias da classe por disciplina: Relatório que fará uma comparação, para cada aluno, em cada disciplina, em relação à média geral da turma na disciplina.
• Relatório do quadro de servidores: Esse relatório totaliza os servidores que pertencem a uma determinada escola ou rede de ensino.
• Impressão do histórico escolar do aluno: Esse relatório consiste na impressão do histórico escolar do aluno, que poderá ser emitido em decorrência da conclusão de um ciclo letivo.
• Impressão do histórico de transferência do aluno: Esse relatório consiste na impressão do histórico escolar do aluno, que poderá ser emitido em decorrência da transferência do aluno, que pode ocorrer ao término de um ano letivo ou ainda durante o ano letivo.
• Impressão da ficha do aluno completa: O relatório consistirá na impressão de todos os dados cadastrados para o aluno, formando um arquivo que deverá ser colocado na pasta física de cada aluno.
• Relatório de declarações: O relatório das declarações consistirá na impressão dos modelos das declarações cadastradas pelo usuário, que podem ter layout e campos próprios.
• Relatórios do Mapa de processo de aprendizagem: Os gráficos e relatórios do Mapa de Processo de Aprendizagem terão por objetivo proporcionar uma análise diagnóstica e evolutiva, de um aluno, classe ou escola, dentro de um processo de aprendizagem.
• Relatório de Ficha Funcional: o relatório de ficha funcional deverá permitir a impressão da ficha dos funcionários, permitindo a aplicação de diversos filtros, como por exemplo: nome do funcionário, CPF, matrícula, local de trabalho, escola sede, setor, cargo ou função.
• Relatório de Afastamento: o relatório de afastamento deverá permitir a impressão de todos os funcionários que estejam afastados das suas funções.
• Relatório de Contratos: o relatório de contratos deverá permitir ao usuário efetuar outros tipos de controle, como por exemplo, as readaptações e designações.
• Listagem de Funcionários: o relatório de lista de funcionário permitirá listar os funcionários por local de trabalho ou por função, visando facilitar a checagem e conferência de onde os funcionários estão trabalhando, além de diversos outros controles, como análise e estudos para remanejamentos, entre outros.
• Relatório de Aniversariantes: o relatório de aniversariantes deverá permitir gerar a lista dos aniversariantes, seja por mês ou por ano.
• Relatório de Contatos dos Funcionários: o relatório de contatos dos funcionários deverá permitir a impressão de todos os contatos cadastrados para um funcionário, possuindo função semelhante a uma agenda, possibilitando consultas rápidas.
• Impressão da ficha de pré-matrícula: Ficha que será usada para fazer a pesquisa com os alunos.
• Relatório de escolas de atendimento da pré-matrícula: Relatório que deverá permitir totalizar os alunos que serão atendidos por uma escola.
• Relatório das opções de envio: Relatório que deverá permitir verificar quais alunos já fizeram a opção para a pré-matrícula e quais não fizeram.
• Relatório de total por opção de pré-matrícula: Relatório que deverá permitir verificar o total de alunos que uma escola irá receber, no entanto, separando por ordem de opção.
• Desempenho da classe por disciplina: Relatório pedagógico que permite aferir o desempenho de cada uma das classes, por disciplina cursada.
 52. Biblioteca
• O sistema deverá possuir módulo para controle da biblioteca de cada unidade escolar, permitindo o empréstimo de obras tanto para alunos quanto para a comunidade, mediante prévio cadastro do leitor.
52.1 Permitir cadastrar acervo
52.2 Permitir cadastro do leitor
52.3 Registrar empréstimos
52.4 Registrar devoluções
52.5 Relatórios da Biblioteca
O módulo da biblioteca deverá disponibilizar diversos relatórios, tais como:
1. Quantidade de títulos, permitindo filtros como autor, obra, editora, gênero e indicação;
2. Ranking de leitores, permitindo filtros como escola, tipo de leitor e periodicidade desejada;
3. Histórico de itens atrasados, permitindo filtros como escola, tipo de leitor e período;
4. Histórico do leitor, permitindo filtros como escola, tipo de leitor e período;
5. Movimentação do acerto, permitindo filtros como escola, título ou tombo e periodicidade;
6. Situações do tombo, permitindo filtros como escola, formas de ordenação do relatório e situação, que pode ser entre todos os livros, ou somente os ativos, ou somente os inativos.
53.Integração SED
• O sistema deverá permitir a integração com a Secretaria Escolar Digital (SED), do Estado de São Paulo, evitando que o usuário tenha que interagir com os dois sistemas, ou seja, o sistema interno e o sistema SED, sendo que todas as ações disponibilizadas e exigidas pela SED, após serem realizadas no sistema local deverão ser transmitidas automaticamente para o sistema SED.
53.1 Permitir alterar dados do aluno
• Permitir que todas as alterações cadastrais realizadas para um aluno já sejam enviadas para o sistema SED. O usuário não deverá precisar entrar na SED e replicar as alterações, pois essas serão feitas de forma automática.
• O usuário deverá ser alertado caso ocorra algum erro durante o processo de atualização.
53.2 Permitir associação de irmãos
54. Transporte
• O sistema deverá contemplar o controle do transporte dos alunos, passando pela solicitação, estudo das necessidades, aprovação, controle de viagens e controle dos fornecedores do serviço, tais como o contrato, aditivos de contrato, viagens realizadas e pagamentos realizados.
• O sistema deverá permitir que o transporte de um aluno seja cancelado a qualquer momento. Uma vez que seja constatada qualquer irregularidade, ou ainda, que o transporte não seja mais necessário, este deverá ser imediatamente cancelado no sistema.
Software com interface amigável de fácil operação. Produto pronto e funcionando com todas as rotinas acima elencadas disponíveis para demonstração!
Localização
Sorocaba - São Paulo

Entre em Contato

R$ 1.200.000,00

Relacionados

  • Vende-se Escola de Educação Infantil
  • Vende-se Escola de Educação Infantil
  • Vende-se Escola de Educação Infantil
  • Vende-se Escola de Educação Infantil
  • Vende-se Escola de Educação Infantil
Educação, escolas e faculdades à venda

Vende-se escola de educação...

 

R$ 80.000,00
  • Escola de Idiomas, Beleza, Informática e Cursos Profissionalizantes em Florianópolis
  • Escola de Idiomas, Beleza, Informática e Cursos Profissionalizantes em Florianópolis
  • Escola de Idiomas, Beleza, Informática e Cursos Profissionalizantes em Florianópolis
  • Escola de Idiomas, Beleza, Informática e Cursos Profissionalizantes em Florianópolis
  • Escola de Idiomas, Beleza, Informática e Cursos Profissionalizantes em Florianópolis
Educação, escolas e faculdades à venda

Escola de idiomas, beleza,...

 

R$ 138.000,00
  • VENDO FACULDADE NO TOCANTINS
Educação, escolas e faculdades à venda

Vendo faculdade no tocantins

 

R$ 18.000.000,00
  • Escola de Inglês, Cursos Profissionalizantes e Cursos Preparatórios - Franquia Nacional
  • Escola de Inglês, Cursos Profissionalizantes e Cursos Preparatórios - Franquia Nacional
  • Escola de Inglês, Cursos Profissionalizantes e Cursos Preparatórios - Franquia Nacional
  • Escola de Inglês, Cursos Profissionalizantes e Cursos Preparatórios - Franquia Nacional
  • Escola de Inglês, Cursos Profissionalizantes e Cursos Preparatórios - Franquia Nacional
Educação, escolas e faculdades à venda

Escola de inglês, cursos...

 

R$ 80.000,00
  • Escola Completa
Educação, escolas e faculdades à venda

Escola completa

Suzano, SP

R$ 99.900,00
  • ESCOLA DE INGLÊS PARA ADULTOS
Educação, escolas e faculdades à venda

Escola de inglês para adultos

 

R$ 350.000,00
  • Vendo Única escola de Representação Hospitalar
Educação, escolas e faculdades à venda

Vendo única escola de...

 

R$ 400.000,00
  • Assessoria Educacional EAD/ supletivo semi presenc
  • Assessoria Educacional EAD/ supletivo semi presenc
Educação, escolas e faculdades à venda

Assessoria educacional ead/...

 

R$ 60.000,00
  • Vende se academia completa com mais de 300 alunos
Educação, escolas e faculdades à venda

Vende se academia completa com...

São Paulo, SP

R$ 250.000,00
  • Vendo Faculdade em São Paulo - com EAD
Educação, escolas e faculdades à venda

Vendo faculdade em são paulo -...

São Paulo, São Paulo

R$ 3.000.000,00
  • Escola de Nivel Técnico
Educação, escolas e faculdades à venda

Escola de nivel técnico

 

R$ 1.200.000,00
  • Curso Inglês e Profissionalizante
Educação, escolas e faculdades à venda

Curso inglês e profissionalizante

Nova Friburgo, Rio de Janeiro

R$ 100.000,00
Aguarde..